Laboratório de Preparação e Conservação

Laboratório de Preparação e Conservação

O Laboratório do Museu da Lourinhã é o espaço onde se realiza a preparação, conservação e restauro das peças que pertencem ao acervo do museu. Este local funciona diariamente sobre materiais das diferentes áreas temáticas das coleções do museu, como fósseis, peças arqueológicos, exemplares osteológicos e materiais etnográficos. Contudo, é um laboratório que se tem especializado na preparação de fósseis, sendo um dos melhores do país nesta área. Este é um espaço de acesso condicionado, devido à natureza dos trabalhos que aí são desenvolvidos.

Este laboratório encontra-se possuí vários equipamentos que permitem o tratamento das peças, essencialmente mecânicos. Em alguns casos específicos, são também utilizados métodos químicos. No caso dos fósseis, a preparação física envolve a utilização de agulhas, sondas, martelos e escopros, micromartelos pneumáticos ou serras rebarbadoras, variando com a peça e técnica utilizada. A par deste processo, aplicam-se adesivos e consolidantes, que tornam possível a extração e conservação dos fósseis.

Este espaço tem-se especializado no trabalho dos fósseis do Jurássico superior da região da Lourinhã (~150 milhões de anos atrás), porém são também aqui preparados fósseis de outras idades e locais, como Algarve, Angola, Gronelândia, Moçambique e Wyoming (Estados Unidos da América). Prepararam-se ainda restos ósseos recentes de instituições parceiras como, por exemplo, a Academia das Ciências de Lisboa, o Museu Geológico de Lisboa ou o American Museum of Natural History.

Outra atividade desenvolvida é a realização de moldes e réplicas das peças museológicas. A produção de réplicas facilita o estudo científico, já que algumas peças são bastante frágeis, e podem ser em exposições museológicas, em Portugal e no estrangeiro.

O trabalho desenvolvido no laboratório é essencial para a investigação científica e conservação das peças por muitas, e muitas, gerações. Este conta com o trabalho de profissionais, que cuidam dos materiais, com a preciosa ajuda de mais de 80 voluntários anuais. São ainda utilizadores assíduos estudantes de licenciatura, mestrado e doutoramento, nas áreas da Geologia, Biologia e Paleontologia, que colaboram no trabalho laboratorial e recebem apoio na realização das suas teses.